sábado, 5 de agosto de 2017

Nova BMW G 310 R chega dia 12 de agosto na Rede BMW Motorrad




 A nova motocicleta da BMW Motorrad, a G 310 R, chega dia 12 de agosto ao mercado brasileiro. As primeiras unidades já saíram da fábrica do BMW Group, em Manaus, para abastecer a rede de 39 concessionárias da marca no Brasil. Todas as motocicletas dedicadas para a pré-venda foram vendidas em apenas três semanas e serão entregues em agosto para os clientes que optaram por esta compra. 

Em setembro, começarão as entregas para os motociclistas que optarem pela aquisição na Rede BMW Motorrad. “Estamos orgulhosos com a qualidade de produção atingida no Brasil. Em menos de um ano de operação com a nossa fábrica própria, conseguimos consolidar a manufatura e estamos prontos para novos desafios”, afirma Alejandro Echeagaray, diretor da BMW Motorrad para a América Latina e Caribe. 


Apresentada como conceito no Salão Duas Rodas de 2015, em São Paulo, a G 310 R começou a ser produzida em maio deste ano na fábrica de Manaus e, neste mês, teve a sua pré-vendas esgotada em menos de três semanas.  Compacto, leve e ágil, o modelo tem motor monocilíndrico de 313 cm³ de 34 cv de potência a 9.500 rpm e um torque máximo de 28 Nm a 7.500 rpm. O preço sugerido é de R$ 21.900.   


Para mais informações sobre a BMW do Brasil acesse: 

Fonte: assessoria de imprensa da BMW

Kawasaki lança Vulcan S com novas versões para 2018

 A Vulcan S chega ao mercado brasileiro em novas versões 2018 com novidades que tornam a sua pilotagem ainda mais confortável e divertida. Sucesso de vendas na categoria desde o seu lançamento há dois anos, a linha Vulcan S agora conta também com as versões Special Edition Café, todas com freios ABS de série.




Já num primeiro olhar, o visual da nova Vulcan S chama a atenção. Com aspecto elegante e ao mesmo tempo agressivo, a moto traz uma pintura escura, mesclando tons sóbrios de cinza e preto. A frenagem da Vulcan S garante ainda maior eficiência e segurança nas mais diversas situações de pilotagem, com sistema ABS de série, disco de 300 mm com pinça de pistão duplo no freio dianteiro e disco de 250 mm com pinça de pistão único na roda traseira.

O painel de instrumentos traz uma novidade. A versão 2018 ganhou um indicador de marchas – atualização que está presente nos modelos mais recentes da Kawasaki. Assim, o painel ficou ainda mais completo, contando ainda com conta-giros analógico e display em LCD com velocímetro digital, indicador de combustível, relógio e hodômetro.

Com relação à motorização, a Vulcan S 2018 mantém o robusto bicilíndrico paralelo de 649 cc com potência máxima de 61 CV a 7.500 rpm e o torque máximo de 6,4 kgfm a 6.600 rpm. 
A nova versão recebeu atualizações no catalisador para atender aos requisitos do PROMOT 4 - regulamentação que define os níveis máximos de emissão de gases.

As duas novas versões - Vulcan S Special Edition e Vulcan S Café – mantêm as mesmas configurações técnicas, com um visual diferenciado. A Vulcan S Café se distingue por suas cores e grafismos em verde e cinza e pelo exclusivo defletor que confere o estilo café racer. Já a Special Edition se destaca pela sua refinada pintura Metallic Matte Carbon Gray / Matte Urban City White.

INFORMAÇÕES:
Kawasaki Vulcan S 2018: Metallic Matte Carbon GrayPreço Público Sugerido: R$ 33.990,00 (frete não incluso)
Disponíveis na rede autorizada Kawasaki: Julho de 2017

Kawasaki Vulcan S Special Edition 2018: Metallic Matte Carbon Gray/Matte Urban City White
Preço Público Sugerido: R$ 34.490,00 (frete não incluso)
Disponíveis na rede autorizada Kawasaki: Julho de 2017

Kawasaki Vulcan S Café 2018: Pearl Blizzard White/Candy Lime Green
Preço Público Sugerido: R$ 35.490,00 (frete não incluso)
Disponíveis na rede autorizada Kawasaki: Julho de 2017




Tudo pronto para o Salão Duas Rodas 2017


A 14ª edição do Salão Duas Rodas está repleta de novidades. O evento, que é o maior do segmento na América Latina e acontecerá de 14 a 19 de novembro pela primeira vez no São Paulo Expo, vai ampliar as experiências para os frequentadores, que terão um espaço mais amplo para conhecer de perto as novidades das montadoras e também diversas atrações que estão sendo programadas. Nos seis dias de evento a expectativa é receber 260 mil apaixonados por motos, em 4 mil horas de experiências, com 500 modelos de motos expostas e 400 marcas presentes. 

A Reed Exhibitions Alcantara Machado, organizadora do Salão Duas Rodas, preparou uma série de atrações em parceria com as marcas, como maior espaço para test ride de montadoras, além de um foco maior no lifestyle do universo do motociclismo. O evento terá também um estúdio de tatuagem da Tattoo You, com um museu relacionado à essa arte, além de ações promocionais. Outra novidade dessa nova edição será a Arena Life Style, um ambiente que contará com a presença de ícones do motociclismo além de personalidades do universo duas rodas, figuras conhecidas do grande público e que atuam em diversos segmentos como moda, arte, entretenimento, gastronomia, mobilidade urbana entre outros.

“O Salão Duas Rodas é um evento especial, pois, além de representar a força desse importante setor econômico, está inserido diretamente no contexto de mobilidade urbana, lifestyle, paixão e liberdade. A 14ª edição do evento será realizada em um momento estratégico de retomada de mercado e certamente veremos grandes lançamentos e novidades. O novo espaço conta com infraestrutura no mesmo nível dos principais centros de eventos do mundo e junto com todas as novidades que preparamos, o Salão Duas Rodas será um marco para o mercado de motocicletas e inesquecível para o público visitante”, afirma Leandro Lara, diretor do Salão Duas Rodas.




A Honda, que mantém uma parceria duradoura com o Salão Duas Rodas, preparou diversas novidades para os visitantes do Evento. "O Salão Duas Rodas é o maior evento da América Latina e o momento ideal para a Honda se relacionar com seus clientes e fãs do motociclismo. O novo local é uma das novidades, vimos o sucesso do Salão do Automóvel e o aumento na qualidade da experiência do público presente. Para esta edição nós estamos trabalhando para proporcionar muita interatividade com os visitantes, como por exemplo o test ride dedicado Honda, onde o visitante terá três opções de pista para testar as motos. Ou até mesmo nas atrações que teremos no nosso stand para transmitir ainda mais o prazer de ter uma Honda. Sem falar nos lançamentos que estamos preparando para este ano. Temos certeza que será um grande evento e queremos novamente participar desta celebração de ser um motociclista", contou Odair Dedicação Junior, gerente de marketing da Honda.


Durante o evento haverá encontros e desfiles de motos, organizados em parceria com as montadoras e motoclubes. Já o tradicional prêmio Duas Rodas, organizado pela revista Duas Rodas, premiará os melhores do setor, tendo como júri jornalistas especializados de diversos veículos.


























A Arena Customização, uma novidade do evento, reunirá as principais oficinas em parceria inédita com as montadoras, para lançar as motos do Salão Duas Rodas.

A Arena Racing terá exposição de motos de competição de várias categorias do motociclismo. Haverá também um test ride de alta cilindrada, voltado às marcas e ao público premium e um test ride de mobilidade urbana, específico para scooters e motos de baixa cilindrada.

Todas essas e outras atrações estarão distribuídas nos 55 mil metros quadrados do São Paulo Expo. O local conta com estacionamento para cinco mil vagas (sendo 4500 cobertas) e tem fácil acesso (fica a 10 minutos do aeroporto de Congonhas e a 850 metros da estação de metrô Jabaquara).

“Historicamente, o segundo semestre tem melhor desempenho de vendas. Além disso, outros fatores como o Salão Duas Rodas, o 13º salário e a chegada do verão ajudarão a fechar o ano com resultados um pouco mais satisfatórios”, destaca Marcos Fermanian, presidente da ABRACICLO (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).

Até o momento as montadoras BMW, Dafra, Ducati, Haojue, Harley Davidson, Honda, Kawasaki, KTM, Kymco, Indian, Royal Enfield, Suzuki, Triumph e Yahama já estão confirmadas para a 14ª edição do Salão Duas Rodas.
























Os visitantes também encontrarão centenas de marcas de acessórios e equipamentos do universo duas rodas, como Baterias Heliar, BR Motorsport (AGV/Dainese, LS2, Fox, No Risk, Race Tech e RT) Chiptronic, Cinborg, FW Performance (K&N, Aliant, HyperPro, Heidenau, Brembo, Avon e Rapid Bike), Givi, GVS Sport, Ipiranga, Montanna, Motociclo, Nacar (Nova Acessories, Shoei, Cardo, Tutto Moto, Joe Rockett, Nolan, X-Lite, Spidi e Nexx), Repsol, Riffel, Taurus (Bullitz Helmets, San Marino Capacetes e Urban Helmets), Vulcanbo, entre outras.


Ingressos
Com ingressos a preços acessíveis, o Salão Duas Rodas 2017 já abriu para venda no site http://www.salaoduasrodas.com.br/ com o primeiro lote a preços promocionais. A entrada para terça-feira, abertura do evento, custa R$ 31,50 (meia R$ 15,75). Para quinta, sexta-feira e domingo o valor é de R$ 38,50 (R$ 19,25 a meia) e para quarta-feira e sábado o valor é R$ 49,00 (R$ 24,50 a meia). Esses preços são promocionais referentes ao primeiro lote de vendas (primeiro lote válido até 01 de setembro ou enquanto durar o estoque).

Motoclubes e Fãs do Salão Duas Rodas nas redes sociais também poderão comprar com desconto.

Além dos ingressos diários, o Salão Duas Rodas criou novas categorias que contemplam os diversos tipos de visitantes do evento:

·         Kit fã (Ingresso e camiseta) – R$ 110,00
·         Easy Rider (Liberdade para escolher o dia da visita) – R$ 140,00
·         Passaporte (Direito a ir quantas vezes quiser ao evento) – R$ 170,00
·         Box Super Fã (Ingresso, estacionamento, credencial VIP e brindes das marcas participantes) – R$ 300,00
·         Avant Première (Ingresso para a noite de pré-estreia do Evento – inclui estacionamento) – R$ 500,00
Fotos - Mário Águas

Serviço
Salão Duas Rodas 2017:
13 de novembro – Avant Première: 18h às 23h
De 14 a 19 de novembro (terça-feira a sábado): 14h às 22h.
Dia 19 de novembro (domingo): 11h às 19h, com entrada até às 17h.
São Paulo Expo Exhibition & Convention Center (Rodovia dos Imigrantes, KM 1,5 – São Paulo/SP).

Informações da:
MktMix Assessoria de Comunicação





terça-feira, 27 de junho de 2017

SUV Hyundai Creta chegou e conquistou

Fotos: Divulgação
Por Jorge Massarolo

Lançado no mercado em janeiro, o SUV compacto Hyundai Creta agradou ao consumidor brasileiro e fechou maio com o emplacamento de 3.751 veículos, assegurando, pelo segundo mês consecutivo a vice-liderança no segmento. Os bons resultados também consolidam a previsão da Hyundai para o modelo, que é vender mais de 3 mil unidades por mês. É bom lembrar que o Creta compete na mesma faixa de mercado do Jeep Renegde. Em cinco meses o Hyundai Creta soma 15.075 unidades comercializadas.
Primeiro SUV compacto global da Hyundai, o utilitário marca a entrada da marca no segmento automotivo que mais cresce no país. Fabricado em Piracicaba, o SUV é baseado na estrutura do sedã Elantra e comercializado em cinco versões: a opção de entrada é a Attitude 1.6, com câmbio manual e preço de R$ 72.990,00, seguida da configuração intermediária Pulse, equipada com motor 1.6 de transmissão manual ou automática ou com motor 2.0 de transmissão automática. A top de linha é a Prestige, que conta com propulsor 2.0 (166 cv e 20,5 kgf.m de torque, um dos mais potentes do segmento) e câmbio automático de seis marchas com trocas sequenciais, ao preço de R$ 99.490,00. O motor 1.6 tem 130 cv e torque de 16,5 kgf.m.
Projetado a partir da filosofia global de design da Hyundai – Escultura Fluida 2.0 — o Creta alia estilo imponente e modernidade e tem seu nome inspirado na maior ilha da Grécia. Por fora, chamam a atenção em todas as versões os para-choques com visual agressivo, exclusivos do modelo brasileiro, a grade frontal hexagonal com moldura que toca os faróis, as lanternas Clear Type, os retrovisores na cor da carroceria com luzes indicadoras de direção. Destacam-se ainda o spoiler traseiro e a moldura cromada na tampa do porta-malas. São opcionais para algumas configurações os faróis com projetores e luz diurna DRL de LED, faróis de neblina dianteiros e rodas de liga leve diamantadas de 17 polegadas.
A cor perolizada Prata Moonlight foi criada exclusivamente para o Hyundai Creta e soma-se aos tradicionais Branco Polar e Preto Onix, aos tons metálicos Prata Metal, Prata Sand, Cinza Titanium e Bronze Terra, e às pinturas também perolizadas Verde Forest, Vermelho Chilli e Azul Sky. No total, são 10 cores à disposição.
De série em todas as versões há sistema Stop & Go de parada e partida automática do motor, direção elétrica progressiva, travas elétricas nas portas e porta-malas, retrovisores externos com ajuste elétrico e luz indicadora de direção, vidros elétricos (one-touch descida para o motorista), acionamento inteligente one-touch das luzes de direção.

Em termos de segurança a versão Creta Prestige apresenta seis airbags, sendo dois duplos frontais, dois laterais de tórax e dois cortina. Para as outras versões, são sempre dois airbags duplos frontais. À exceção da versão Attitude, todas as demais trazem sistema completo de segurança ativa, com controle de estabilidade (ESP) e tração (TCS), assistente de partida em rampa (HAC), gerenciamento de estabilidade (VSM), sinalização de frenagem de emergência (ESS) e faróis de neblina dianteiros.
A sofisticação do modelo top de linha apresenta bancos de couro marrom, acabamento das portas e apoio de braços lateral e central em couro preto, costuras na cor marrom, painel de textura exclusiva com detalhes na cor marrom e volante revestido em couro. O Creta Prestige tem ar-condicionado automático digital, chave presencial smart key com telecomando de travamento das portas e porta-malas, partida do motor por botão, retrovisores externos com rebatimento elétrico, computador de bordo com configurador de funções, câmera de ré dinâmica e acendimento automático dos faróis.
Experimentou a versão top de linha, o Prestige 2.0 Automático  
Experimentei o Hyundai Creta Prestige 2.0 Automático em uma viagem de 800 quilômetros e o resultado agradou a todos pelo luxo, conforto e segurança. O modelo oferece vários mimos ao motorista, como banco ventilado, câmbio automático, piloto automático e o cornering lamp, uma lâmpada lateral que acende para o lado em que o volante é girado, iluminando melhor o trajeto.
Nos dias quentes o motorista do Creta Prestige tem o privilégio de ter um banco refrescado por ventiladores instalados no interior do assento e do encosto. O sistema Stop & Go é bem interessante. Ao parar no semáforo, por exemplo, o motor desliga sozinho, mas todos os sistemas (som, ar-condicionado, luzes) continuam funcionando normalmente. Basta tirar o pé do freio que ele religa automaticamente. Economia para o bolso.
O câmbio automático e o piloto automático formam uma boa combinação para se livrar dos inúmeros radares nas estradas paulistas. Basta determinar a velocidade que o piloto automático mantém o carro na mesma tocada. Assim, o motorista pode prestar mais atenção no ato de dirigir.
O painel contém todos os instrumentos necessários, como computador de bordo, média de consumo e outros indicadores, no entanto, se você for um sujeito com mais de 1,78 metro terá que rebaixar bem o banco para poder ver os indicadores de seta e se o farol está ligado. Caso um pneu esteja com a pressão baixa, uma luz acende no painel. O painel Advanced Supervision Cluster, sensível ao toque, permite configurar diversas funções do veículo.

A conectividade é outro ponto forte do carro. Ele vem equipado com a central multimídia blueNav disponível como item de série na versão Prestige. O equipamento tem tela touchscreen de 7 polegadas, navegação GPS embarcada, compatibilidade com Apple CarPlay e Google Android Auto, conexão Bluetooth com streaming de áudio, acesso à agenda e histórico de chamadas, MP3 player, reprodutor de fotos e vídeos, conexões USB/iPod e AUX, microfone no teto e comandos de áudio e Bluetooth no volante.
Assim, o silêncio no interior do carro só é quebrado pelo excelente sistema de som, ou então, quando o motor é forçado em ultrapassagens. Por falar em motor, na estrada o Creta fez 7km/l com etanol e 11km/l com gasolina. Uma boa média. O generoso porta-malas de 431 litros leva toda a bagagem, mas se for necessário mais espaço, basta rebater os bancos traseiros e ampliar para 1.425 litros. O Creta veio para dividir o mercado de SUV compacto e até o momento está conseguindo. Quem ganha é consumidor brasileiro, que tem mais uma opção de SUV compacto à sua escolha.


sexta-feira, 23 de junho de 2017

BMW G 310 R estreia no segundo semestre por R$ 21.900
























A roadster BMW G 310 R, que marca a entrada da BMW Motorrad no segmento de motocicletas abaixo de 500 cilindradas nacional, já está sendo produzida na nova fábrica própria do BMW Group em Manaus (AM) e fará sua estreia na rede de concessionárias autorizadas no segundo semestre deste ano ao preço sugerido de R$ 21.900.

"E mais que marcar o início de uma nova história da BMW Motorrad no Brasil, a nova BMW G 310 R reflete, em muito, o espírito da marca de inovar e quebrar paradigmas", afirma Federico Alvarez, diretor da BMW Motorrad Brasil. “Desenvolvida na Alemanha e produzida no Brasil, teremos um foco total na qualidade deste novo produto, que passa pela fabricação até a atenção especial ao pós-vendas”, complementa o executivo.

A nova BMW G 310 R é a primeira motocicleta produzida no País, na fábrica própria do BMW Group, em Manaus (AM), a partir de um novo ciclo de investimentos, no valor de 4 milhões de euros, aplicado na aquisição de novas tecnologias e equipamentos para produção de novos modelos e no treinamento dos funcionários e colaboradores envolvidos nos processos de manufatura.

Revelada ainda como uma moto-conceito no Salão Duas Rodas de 2015, em São Paulo, a nova BMW G 310 R se diferencia pelas dimensões compactas e pelo desenho arrojado, sem deixar de lado o espírito de uma verdadeira roadster caracterizado pela agilidade em ambiente urbano e vigor na estrada. A nova motocicleta também se destaca pelo conforto garantido pela posição excepcional do assento, pelo display de LCD (cristal líquido) no painel de instrumentos de fácil visualização, e pelos comandos acessíveis ao piloto. A moto também oferece um alto nível de ergonomia e segurança ao ocupante.

A nova G 310 R é impulsionada por um motor de 313 cm³, refrigerado a água, com comando duplo de válvulas e injeção eletrônica de combustível. O bloco monocilíndrico é capaz de gerar 34 cv de potência (a 9.200 rpm) e torque máximo de 28 Nm (disponíveis a 7.500 rpm). Considerando seu baixo peso (158,5 kg), a roadster da BMW oferece uma condução ágil e divertida, ideal para encarar o trânsito das grandes cidades brasileiras. 

Fonte- Assessoria de imprensa da BMW

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Triumph lança novas Bobber e Street Scrambler no mercado brasileiro


Street Scrambler

A Triumph lança no Brasil as novas motocicletas clássicas da família Bonneville: Bobber e Street Scrambler. Os modelos chegam com preços de R$ 41.990,00 (Street Scrambler) e R$ 49.990,00 (Bobber) e ampliam ainda mais o leque de motocicletas clássicas da marca – que já contava com outros cinco modelos no País: Street Twin, Street Cup, Bonneville T120, Bonneville T120 Black e Thruxton R.

Atualmente, as motocicletas clássicas representam para a Triumph, no mercado nacional, cerca de 25% das vendas totais da marca. “Nossa intenção é ampliar esta participação nos próximos anos, chegando a 30% no final do próximo ano e atingindo pelo menos uma fatia de 35% das nossas vendas até 2020”, explica Waldyr Ferreira, Diretor Geral da Triumph Motorcycles Brazil. “No mercado internacional, as clássicas já alcançaram uma participação de 50% das vendas da marca e a expectativa é ampliar ainda mais este percentual até 2020”, acrescenta.

Os novos modelos Bobber e Street Scrambler deverão atingir, no total, um volume de vendas em torno de 380 unidades no próximo ano. A Street Scrambler tem como público-alvo, na avaliação da fabricante inglesa, um consumidor clássico e moderno ao mesmo tempo, que prefere atitude, elegância e estilo mais rústico e focado no off-road, mas que também busca uma moto bonita, divertida e que ofereça conforto em todos os tipos de estrada. Já o comprador de uma Bobber deseja uma motocicleta clássica moderna, mas busca uma experiência de pilotagem mais emocionante. Ele é atraído pelo belo design e estilo da moto, e procura por um modelo icônico, realmente especial.

BONNEVILLE BOBBER


Triumph Bobber
As motocicletas de estilo bobber nasceram logo após a Segunda Guerra Mundial , na década de 40, por meio dos soldados que voltavam para casa e buscavam emoção em duas rodas. Utilizando como base, muitas vezes, motocicletas que haviam sobrevivido à guerra, eles customizavam as motos em garagens caseiras, utilizando ferramentas simples. O objetivo era tornar a motocicleta a mais despojada possível, retirando tudo que fosse considerado “supérfluo”, como para-lamas pesados, proteções e luzes indicadoras. Depois de prontas, elas disputavam rachas e corridas de rua que ajudaram o tornar o seu estilo uma verdadeira febre entre os motociclistas da época.





Apesar de trazer o DNA incomparável de engenharia e estilo da Bonneville T120, a nova Bobber nasceu de uma linhagem inigualável de bobbers personalizadas da Triumph. E oferece personalidade e atitude inconfundíveis. O novo modelo reúne, com perfeição, os princípios de estilo minimalista, sua proposta “muscular” e a atitude que se espera de uma autêntica bobber. Na verdade, as principais características de uma bobber real estão presentes na nova clássica da Triumph: linhas limpas, motor exposto, postura baixa, assento individual, guidão largo, carroceria e farol mínimos, tanque esculpido, rodas com raios cromados, roda traseira mais larga e a essencial traseira com a aparência mais robusta. Com seu motor de 1.200 cc, é uma motocicleta hotrod imponente, musculosa e tão empolgante para observar como também para pilotar.

BONNEVILLE STREET SCRAMBLER
Scrambler


























O conceito de moto Scrambler nasceu na década de 50, para batizar modelos que eram adaptados para disputar corridas de enduro – ganhando itens como pneus para o uso off-road, escapamento alto e guidão largo. O nome veio da expressão em inglês “to scramble”, que significa subir rapidamente uma colina usando os pés e as mãos. Este tipo de moto fez sucesso e logo os fabricantes começaram a lançar modelos com este visual off-road. A Triumph entrou no segmento em 1963, com a Bonneville T-120 TT, de 650 cc, que ficou em produção até 1967. Em 2006, a marca apresentou a Triumph Scrambler, equipada com motor de 865 cc.

A novíssima Triumph Street Scrambler, desenvolvida a partir do bem-sucedido modelo Street Twin, chega ao mercado brasileiro como uma nova opção de motocicleta clássica dentro da família Bonneville. Com motor de 900 cc, a Street Scrambler é uma motocicleta divertida, acessível, contemporânea e que incorpora uma significativa evolução em engenharia e estilo em relação à Triumph Scrambler anterior – que não chegou a ser lançada no Brasil. O novo modelo foi desenvolvido para apresentar o mais belo e objetivo estilo Scrambler, com recursos e detalhes exclusivos, estilo mais rústico e foco no off-road.


























SOBRE A TRIUMPHA Triumph Motorcycles Brazil é uma das 12 subsidiárias da empresa pelo mundo e conta com sede em São Paulo (SP) e fábrica em Manaus. A marca conta com 15 concessionárias nas cidades de São Paulo (SP), Campinas (SP), Ribeirão Preto (SP), São José dos Campos (SP), Porto Alegre (RS), Brasília (DF), Curitiba (PR), Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ), Goiânia (GO), Florianópolis (SC), João Pessoa (PB), Londrina (PR) e Recife (PE). 

Fonte - Assessoria de imprensa da Triumph






segunda-feira, 12 de junho de 2017

Yamaha Super Ténéré 1200 DX: um verdadeiro "trator", no melhor conceito da palavra

A poderosa Super Ténéré 1200 DX na versão comemorativa aos 60 anos da Yamaha:
máquina para toda estrada
Pilotar uma moto que já foi sete vezes campeã do maior rali do mundo (Paris-Dkar) é um privilégio. Foi com este sentimento que “montei” na Super Ténéré 1200 DX, na cor amarela, comemorativa ao aniversário de 60 anos da Yamaha. A primeira impressão é que você está sobre um trator, no melhor conceito de observação. É o ronco forte do motor, o porte, a arrancada. É aquela motocicleta que pode te levar a qualquer lugar sem vacilo, seja no asfalto ou na terra, daí a razão de ela ser preferida por aventureiros que cruzam o mundo sobre duas rodas. 

Também pudera, a big trail Super Ténéré 1200 DX vem equipada com um motor bicilíndrico, quatro tempos (SOHC), de 8 válvulas, com 1199cc. Esse propulsor é capaz de gerar a potência máxima de 112 cavalos a 7.250 rotações e oferece torque de 11,9kgf.m a 6.000 rotações, em um câmbio de seis velocidades e sistema de partida elétrica.


Motor de 1200 cilindradas que leva a qualquer canto do mundo 
























Construída para aventura, a big trail vem com o sistema YCC-T (Yamaha Chip Controlled Throttle) que entrega um controle otimizado de aceleração e torque. Além disso, ela tem o Drive “D”-Mode, que permite escolher entre os modos de pilotagem touring e sport. Confesso que achei o touring meio “chocho” nas respostas e preferi usar o modo sport, que deixa a moto mais “esperta” nas arrancadas e acelerações. Questão de gosto. Toda essa maquinaria resulta em consumo de combustível que varia entre 15 km/l a 18km/l, dependendo, claro, do modo como você pilota. Equipada com um tanque de 22,6 litros, sendo 3,9 de reserva, ela tem uma boa autonomia para enfrentar longas distâncias. 

Equilíbrio



Suspensão para encarar qualquer tipo de terreno
É uma moto que não permite perder o ponto de equilíbrio, pois são 261 quilos, com todos fluídos a bordo, e uma altura mínima do banco em relação ao solo de 845 milímetros e máxima de 870 milímetros. Pensamento bem, não é tão alta assim, já que o banco da BMW F 800 GS fica a 895 milímetros do chão. Além disso, a altura do banco e suspensão da Super podem ser ajustados de acordo com a estatura do piloto. Se no modo soft, que é o mais macio, eu ficava na ponta dos pés, no modo hard+3, que é o mais esportivo, já conseguia colocar a planta dos pés no chão. Diga-se de passagem que sua suspensão é perfeita para nossas estradas esburacadas e encara as curvas com leveza e precisão.

Obviamente, pelo seu porte, não é uma motocicleta que tem grande desenvoltura no trânsito urbano, mas por ser alta, ela circula livremente nos corredores sem risco de bater em um retrovisor. Aliás, os retrovisores são muito bons, pois permitem uma ampla visão lateral e imediatamente atrás do piloto. Outro detalhe interessante é que mesmo com esse motor de grande porte, ela dissipa muito bem o calor, não esquentando as pernas do piloto.


























Para enfrentar longas estradas, ela vem equipada com o para-brisa, que pode ser ajustado manualmente, soltando as borboletas de cada lado. Mas não consegui uma posição ideal. O vento acabou sendo jogado contra o capacete, causando um belo barulho. A posição de pilotagem é ótima. O banco largo e macio traz conforto em longas viagens. Ajuda também a mudança feita pela Yamaha, que aproximou em 10 milímetros o guidão para perto do piloto, deixando a pilotagem ainda mais confortável.
Painel digital com computador de bordo e muitas funções


O modelo conta com painel digital em LCD, que exibe informações sobre consumo médio, temperatura da refrigeração, hodômetro total e parcial, sistema D-Mode e uma tomada de 12 Volts. O painel é completo mas leva algum tempo para se familiarizar com as diversas funções. Só consegui zerar os odômetros depois de muito fuçar nos comandos. O indicador de marchas é estranho. O número não aparece se a embreagem estiver engatada, ou seja, se você está parado no semáforo não vai saber qual marcha está engrenada. Quanto aos protetores de mão, por algumas vezes, ao invés de acionar a embreagem, acabei apertando o protetor de mão. Talvez estejam muito perto.

E como é uma motocicleta feita para encarar todo tipo de clima e terreno, as manoplas contam com três níveis de aquecimento, extremamente útil para os aventureiros que gostam do Ushuaia ou do Deserto do Atacama. Ela também é dotada de piloto automático, uma ferramenta que pode ajudar em longas viagens. Também tem suporte para GPS.

Na versão Deluxe, a big-trail da Yamaha conta com suspensão eletrônica controlada no comando situado no guidão, com quatro posições pré-programadas e outras 14 ajustáveis. É interessante, pois você indica se a viagem é solo, ou com garupa, carregando duas ou três bolsas laterais, e a suspensão se adapta a este peso. Fácil de usar, pois no painel aparecem desenhos de um ou dois capacetes e das bagagens.






Para segurar este “trator”, a Yamaha dotou a Super com ABS e UBS (Sistema Unificado de Frenagem, que permite frear as duas rodas no mesmo instante), e evita bloqueio durante frenagem brusca ou mudanças repentinas de terreno.

Boa Viagem

Por fim, a Super Ténéré 1200 DX é aquela moto que você pode contar para andar na cidade ou atravessar vários continentes com conforto e segurança. Como disse no início deste texto, ela é um trator na forma mais bonita da palavra, pois ela tem força e capacidade de levar o piloto aos lugares mais bonitos que a natureza criou. Com ela, só resta dizer, boa viagem.



Por Jorge Massarolo

Fotos: Verônica Cardoso e Divulgação